Periodontologia

É a especialidade dirigida ao tratamento dos problemas das gengivas e das estruturas que suportam os dentes. Permite:

– Melhor odor e sabor oral
– Diminuir a mobilidade dentária
– Melhorar a estética

O que é a doença periodontal?
É vulgarmente conhecida como a “ doença das gengivas”. A causa não está ainda bem definida, mas sabe-se que tem a ver com a existência de determinadas bactérias associada à má higiene oral. Há alguns factores de risco como a diabetes, o fumo do tabaco, a gravidez, e certos medicamentos tomados diariamente. Pode afectar apenas a gengiva, ou então evoluir e levar à perda óssea podendo conduzir a mobilidade dentária e consequente perda dos dentes.

Quais são os sinais de alerta?
As principais manifestações das doenças periodontais são:
– Hemorragia nas gengivas
– Gengivas inchadas
– Retracção das gengivas
– Mobilidade dentária
– Espaços entre os dentes
– Dor na gengiva
– Abcessos gengivais

Na presença de qualquer um destes sinais deve consultar o seu médico dentista.

Cuidados preventivos da doença periodontal:
– Realizar destartarização pelo menos de 6 em 6 meses(“limpeza de dentes”)
– Boa higiene oral ( escovar os dentes no mínimo 2 vezes ao dia, usar fio dentário e escovilhões).
– Alimentação saudável e diversificada (lacticínios, vegetais e fruta )

Como resolver a halitose ou o mau hálito?
Há inúmeras causas para o mau hálito e que devem ser determinadas antes de qualquer abordagem terapêutica. Existe a halitose fisiológica que é comum a quase todos (ex.: a que ocorre ao acordar ou durante os jejuns prolongados) e a halitose patológica ou crónica (a que sucede com frequência logo após as refeições ou depois da higiene oral).

No caso da halitose fisiológica, podemos prevenir que ela surja apenas com alteração de hábitos, nomeadamente:
– Não ter grandes períodos sem ingestão de alimentos (Comer de 4 em 4 horas)
– Evitar as dietas hiperproteicas, hipocalóricas, e as comidas ricas em gorduras
– Evitar as comidas condimentadas e com alimentos odoríficos ( alho, cebola…)
– Limitar consumo de álcool, café e tabaco
– Beber em média 1,5 litros de água/dia
– Usar fio dentário e escovar a língua.

Se mesmo assim o mau hálito persistir, então poderá categorizar-se como sendo uma halitose patológica e outras razões sistémicas poderão ser ponderadas, em conjunto com o médico assistente.